Muitos CEOs desejam implementar o RPA (Automação de Processos Robóticos) em suas empresas, mas não sabem o tipo de automação adequada para cada cenário. Você também tem essa dúvida? Continue lendo o Post pois vamos explicar os principais cenários – e, os robôs adequados para cada um – que você pode se deparar em sua organização.

O RPA integra, naturalmente, as forças de trabalho humana e digital. Ou seja, entende-se que, geralmente, uma automação envolverá alguma combinação de informações humanas e robóticas para ser bem-sucedida.

O segredo dele é a capacidade de permitir a combinação ideal de colaboração humana e robótica para qualquer fluxo de trabalho ou processo específico. O que faz essa combinação ser ainda mais produtiva é obvio: os robôs têm a capacidade de fazer o mesmo trabalho que os humanos, porém, de forma mais rápida e menos propensa a erros. Ainda assim, sempre há tarefas que não podem ser automatizadas, ou, tarefas em que o robô simplesmente vai precisar de uma tomada de decisão ou direcionamento humanos.

Identificando os principais tipos de automação para cada cenário

Segundo a UiPath, empresa líder mundial de RPA, há dois principais tipos de robô de software desenvolvidos: os “assistidos” e os “não assistidos”. Para cada tipo de cenário, uma opção de automação pode ser aplicada.

Os “não assistidos” são robôs que realizam tarefas repetitivas ou baseadas em regras, como pesquisa, pesquisa em vários sistemas, agregação, classificação, mapeamento, análise e distribuição de seus dados corporativos. Em contrapartida, os robôs “assistidos” agem como um assistente pessoal residente no computador do usuário para executar uma série de ações acionadas pelo usuário para concluir tarefas simples e repetitivas para otimizar um fluxo de trabalho.

Portanto, podemos resumir os cenários de automação em 3 principais:

Cenários de Back-end e tarefas repetitivas

Exigindo pouca ou nenhuma intervenção humana, esse tipo de automação executa processos baseados em transações de alto volume totalmente automatizados. Isso geralmente ocorre em ambientes de back-end com tarefas pesadas. Para este tipo de cenário, os robôs não assistidos são o ideal.

Cenários de Front-end e tarefas rotineiras

Executando no computador do usuário, o robô trabalha ao lado da pessoa para melhorar a qualidade e a produtividade. Ele lida com as tarefas rotineiras envolvidas no processo e fornece as informações quando o usuário precisa acelerar a tarefa. Também pode ser programado para fornecer orientações e recomendações. Aqui, os robôs assistidos são os que melhor se encaixam.

Cenário Híbrido

Combinando robôs assistidos e não assistidos, essa automação é mais adequada para cenários em que há muita interação do usuário. O robô atendido oferece suporte ao usuário e inicia automaticamente o robô não assistido para concluir o processamento de back-end.

Fonte: UiPath

Amanda Borba
Últimos posts por Amanda Borba (exibir todos)