80% dos produtos e serviços de tecnologia serão desenvolvidos por pessoas fora da área de TI até 2024, segundo um estudo da Gartner Inc. Uma nova categoria de compradores fora da TI tradicional impulsionou esse movimento de crescimento. Esse segmento ocupa hoje uma fatia maior do mercado geral de TI.

Ou seja, atualmente, os gastos totais de TI liderados pelos negócios chegam a 36% do orçamento total da TI formal. Segundo Rajesh Kandaswamy , distinto vice-presidente de pesquisa do Gartner, os negócios digitais não são mais considerados domínio exclusivo da área de TI pelos CEOs.

“O crescimento em dados digitais, ferramentas de desenvolvimento de baixo código e desenvolvimento auxiliado pela IA estão entre os muitos fatores que permitem a democratização do desenvolvimento de tecnologia” disse  Kandaswamy.

COVID-19 impulsiona o desenvolvimento de novos produtos de tecnologia

Com a expansão da tecnologia e do digital com a pandemia, os produtos e serviços de TI passaram a ser consumidos em grande escala por profissionais de fora desse departamento. Porém, as necessidades desses novos compradores nem sempre se encaixam perfeitamente nas ofertas dos fornecedores tradicionais. Consequentemente, a demanda por produtos tecnológicos adaptados a outras necessidades, mais orientadas aos negócios, também cresceu.

Em 2023, o Gartner prevê que US $ 30 bilhões em receita serão gerados por produtos e serviços que não existiam antes da pandemia. Os analistas do Gartner disseram que a rápida expansão dos serviços em nuvem, iniciativas de negócios digitais e serviços remotos abriu a porta para novas possibilidades de integração e otimização.

Provedores de tecnologia competirão com os provedores de “não tecnologia

Mais de um terço dos provedores de tecnologia competirão com os provedores de não tecnologia até 2024. Como mencionado acima, o COVID-19 gerou um consumo maior de tecnologia por pessoas de fora da área, o que gerou novas demandas. Dessa forma, as barreiras se reduziram para aqueles fora da TI que desejam criar soluções baseadas em tecnologia.

Essa situação fornece um ponto de entrada para qualquer pessoa possa atender às necessidades induzidas pela pandemia. Esses participantes incluem profissões não tecnológicas dentro das empresas – ou “tecnólogos de negócios” – desenvolvedores cidadãos, cientistas de dados e sistemas de IA que geram software.

Os fornecedores de tecnologia estão cada vez mais entrando em mercados relacionados ou em concorrência com fornecedores não tecnológicos, incluindo empresas inovadoras em serviços financeiros e varejo. Este último está criando soluções voltadas para TI com mais frequência e com mais ambição, à medida que mais empresas continuam seus esforços de transformação digital.

Essa nova categoria, a de “tecnólogos de negócios”, abriu portas para novas fontes de inovação. “Os provedores de tecnologia e serviços precisarão estender seu fornecimento de ideias e desenvolvimento de tecnologia a novas comunidades, sejam elas baseadas no desenvolvimento de cidadãos, suas próprias comunidades de clientes ou outras fontes ”, disse Rajesh Kandaswamy.

Sem dúvidas, o cenário mais proveitoso é o da colaboração. A união das ideias e insights dos tecnólogos de negócios, com a experiência técnica dos profissionais de TI pode gerar novos produtos de tecnologia que serão, além de mais adaptáveis, mais inteligentes.

Fonte: Gartner

Inscreva-se em nossa Newsletter!

Amanda Borba
Últimos posts por Amanda Borba (exibir todos)